segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Waking Up - A descoberta

Capítulo anterior: Waking Up - Nova Temporada 


L: Como assim? Quem virá atrás de mim?
M: Deusa? O que faz aqui? - Musa levantou-se e parecia completamente assustada com a situação - O que veio falar?
D: Quem tinha que falar isso era você, Musa, não é?! - Deusa voltou-se para Musa e a questionou - Você sempre soube, não é? Você, o Cara da Roda Gigante... Quem mais?
L: Deusa, o que você está falando? O que todos sabem? - Olhei para Deusa e para Musa sem entender o que estava acontecendo.
D: Eles vieram atrás de mim, disse que todos que estiverem do seu lado vão sofrer, eles vão te matar, Lara, acredito que você pode ser mais forte do que eles...
L: Mais forte de que quem? Musa? O que está acontecendo?
M: Entenda, eu... Eu, não posso dizer... Eu jurei... Eu não posso. - Olhei a Musa e vi ás lágrimas rolarem, ela parecia está apavorada.
D: Como você pode ter feito isso??? Você está aqui para protege-la e ao invés de prepara-la, você deixa-a pronta para o abate... Ela vai morrer, sabia?? Os Cavaleiros das Trevas já sabem, eles sabem tudo sobre ela agora...
L: O que eles sabem? Como podem saber sobre mim? - Eu olhei para Musa e logo depois para Deusa, e só vi desespero no olhar das duas.
D: Eu não sei ainda, preciso encontrar meu Xamã, preciso está em contato com a natureza... Mas agora precisamos te esconder e...

Neste momento a Deusa do Vento caiu no chão, começou a revirar os olhos e falar em línguas as quais eu nunca tinha visto. Musa e eu tentamos segura-la. Ela me agarrou e olhou nos meus olhos, eu não via mais a Deusa naquele olhar, era qualquer outra coisa, menos ela.

D: Deusa, Deusa da Natureza, dos ventos, do ar! - A Deusa do Vento começou a falar, fazendo bastante esforço, como se não conhecesse a nossa língua - A energia está aí, a força, a luta... Eu vejo sangue, eu vejo dor, mas é você que guia é você que controla os ventos, o mar... Está aí, aí dentro, dentro de ti...

Deusa abriu os olhos e levantou rapidamente. Parecia perdida, confusa, segurou os cabelos, a cabeça... Eu a abracei. Ela ainda estava muito ofegante e desesperada. A afastei e pude ver o seu olhar, onde eu pude vê-la, a Deusa estava de volta. Ela me encarou e entre algumas lágrimas e um sorriso, ela disse:

- Você é um Silfo, Lara! 

Continua...

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

lost and now whatever.

Uns dias atrás, curtindo a ociosidade das férias, entrei no Facebook e stalkeei. SIM, EU CAIR, EU PEQUEI! HAHAHA Suricatiei a vida de todo mundo: O Russell, aparentemente, terminou com a namorada, o James, casou-se, o Pedestal, está só esperando o filho chegar e o Comendador está de namorada nova. - Olha o meu todo mundo HAHAHAHAHA
Sentei e avaliei minha vida amorosa e eu não tenho nada de novo, não terminei com ninguém, nem de longe me casei, não estou grávida - obrigada, meu Deus! - e não comecei a namorar. - Sem vida feliz gente, por isso sem Facebook -
A verdade é que eu não quero namorar. Acho que é a primeira vez na minha vida que não quero isso. A vida tá uma bagunça, meu irmão! Não estou conseguindo lidar com relacionamentos básicos - Como o de mamãe e Pepi, por exemplo -, imagine um macho na minha cola??! 
Está solteira é bom. Como a gente vive em um país que um relacionamento é super-romantizado e cheio de babaquices, não ter ninguém querendo te controlar é lindo! Imagina que locoo o cara dando uma de maluco possessivo porque dormir na casa de algum amigo meu?! Ou ficar putíssimo porque eu teria dias que nem queria olhar para cara dele, mas estaria com a casa cheia de gente... Entendem?! Não quero viver isso. 
Eu ando tão chata, que tenho sentindo pena da minha melhor amiga, que tem que lidar com uma loca que levanta textões e faz perguntas existenciais, e depois de dois dias está fazendo tudo ao contrario do que disse que ia fazer. Fora os dias de choros e áudios no Whatsapp. 
Não, eu não tenho sido uma boa companhia para mim mesma, nem a Musa tem aparecido e muito menos o Cara da Roda Gigante. Eu voltei ao meu status de Junho de 2016, onde me vi tendo que viver comigo apenas e com o mundo. Evitando o What e destilando verdades no Twitter. Sem querer está com ninguém e curtindo o escuro do meu quarto.
Tenho tentado manter o meu equilíbrio emocional, mas percebi que ele estava no lixo, no dia que fui ministrar um treinamento de PNL, que preciso ter um equilíbrio emocional perfeito e CHOREI DE SOLUÇAR. Com minha mãe, que está internada - Pauta para outro post -, fui à viagem toda do ônibus chorando e dizendo para mim mesma que quando chegasse ao hospital, eu iria ficar de boa, só passando que estava tudo lindo para ela. A realidade mesmo é que cheguei, sentei e CHOREI DE SOLUÇAR com ela. Eu tinha conseguido equilibrar esse lance do choro, mas agora desandou de vez e eu voltei a ser a menina que chora no ônibus. 
Chegai a vaaaaaaaariiiaaas conclusões sobre a minha vida que me levaram mesmo a desisti de tudo. Peguei a cadeira, coloquei na varanda, sentei e estou vendo a vida acontecer. Eu aceitei que perdi, só não sei ainda o que fazer depois disso.


Ps¹: Esse post é tão eu na veia, que poderia ser um compilado sobre o que posto no Twitter.
Ps²: Estou ouvindo, incansavelmente, o albúm "The Wall" do Pink Floyd, com o objetivo de ver a luz no fim do túnel. 

terça-feira, 25 de outubro de 2016

The Purgatory: The Companion

"Eu nunca estive nesse lugar" Pensei olhando toda a estação de metrô. A estação era no subsolo e não havia mais ninguém ali. "As pessoas andam se comportando" Pensei revirando os olhos. Sentei em um dos bancos e apertei a alça da mochila, abaixei a cabeça e me perguntei "Como cheguei até aqui?"


R: Oi, você é a Lara, né? 
L: É sim. - Levantei rapidamente e observei o garoto. Ele deveria ter 20 anos no máximo, era cheio de sarnas e sorria como se ali fosse um bom lugar para está. - Eu te conheço? 
R: Não, mas eu te conheço, e preciso perguntar: Você foi mesmo ao inferno duas vezes? - Ele me olhou e pude ver as expectativas soltarem dos seus olhos. 
L: Sim... Mas como você sabe disso? 
R: Todas as pessoas de todos os reinos sabem disso! - Ele afirmou e senti banalidade no seu tom de voz. 
L: Todas? De todos os reinos? - Falei sem entender nada. 
R: Sim, todas! - O metrô parou na estação e abriu as portas, o garoto me pegou pelo braço e me puxou para dentro do vagão - Vamos, não podemos perder o metrô, só passa outro daqui a uma hora e.. 
L: Você pode largar meu braço? - Olhei o vagão completamente vazio e sentei - Parece que as pessoas andam se comportando, né?! Estou aqui sozinha... 
R: Não, isso não tem nada a ver. Não é para ter mais ninguém aqui mesmo, só você e eu, o seu Acompanhante. Raabe, muito prazer! - Ele estendeu a mão direita para aperta-la formalmente. 
L: Meu Acompanhante? Do quê? Para quê? 
R: Sim, eu acompanho as pessoas nessa viagem, meu papel é ouvi-las, conforta-las e dizer que nem tudo está perdido. Eu sirvo para enchê-las de ânimo. - Ele falou orgulhando-se muito do cargo - Quando vi sua ficha e soube que vinha para cá, eu quis acompanha-la, você deve ter historia interessantes para contar! - Ele sentou do meu lado e me olhou com aquele olhar de expectativas novamente. 
L: Eu não tenho nada para contar. Eu estou aqui, não é?! Deu tudo errado de novo. Eu perdi. 
R: É eu soube... E olha, vai ficar tudo bem, viu?! - Ele falou meio desajustado. 
L: Raabe, né?! Então, olha só, eu sei que é seu papel e tal, mas EU SEI QUE NÃO VAI FICAR TUDO BEM, TÁ?! - Gritei e gesticulei tentando sendo clara. 
R: Não! Mas vai ficar mesmo! Você é... 
L: Raabe?! Pare, por favor, eu não quero conforto, sabe?! Não quero ninguém me dizendo que está tudo bem ou que vai ficar. Eu só quero viver tudo isso aqui, na minha, quietinha. Beleza? 
R: Mas eu sou seu Acompanhante! Eu preciso te ouvir, te ajudar! É uma fase difícil, eu sei, já vi milhões de pessoas passarem por aqui, não é nada fácil está lá. 
L: Raabe?! Você conhece a minha historia? 
R: Sim! TODA! Você foi ao inferno duas vezes! Não conheço ninguém que tenha saído vivo de lá, imagine ir duas vezes! 
L: Então... Eu fui ao inferno. Sério que eu preciso de consolo ou acha mesmo que eu quero falar sobre mim? - Ele me olhou e desta vez eu vi piedade nos seus olhos - É uma fase realmente difícil, eu só quero esperar em paz. 
R: Bom, mas o que eu vou fazer aqui então? 
L: Que tal me contar como você chegou até aqui? Afinal, a minha historia você sabe, né?! Mas eu não sei a sua. 
R: A minha? O que falar? - Ele fez cara de confuso - Eu sou um anjo de 326 anos. Antes eu cuidava da papelada toda das pessoas que subiam e descia, mas acabei sendo transferido para cá, precisava trabalhar em campo. 
L: Você é um anjo novo. E você curte ser Acompanhante? 
R: Todos acham um tédio, vejo meus amigos reclamando um monte, mas eu até gosto, acho divertido. Ontem vi com uma senhorinha que nem queria passar por aqui, ela queria ir para o inferno mesmo, disse que tinha consciência de tudo que fez na vida e que não se importava. Ela me contou historias incríveis, e no final da viagem, disse que tinha certeza que ela só ficaria aqui por um tempo e que eu achava que ela ia para o céu... Ela só acha que vai para o inferno por xingar muito. - Ele falou quase sussurrando - Ninguém vai para o inferno por isso. 
L: Muitas pessoas vão para o inferno? 
R: Sim. Mas, de tudo que já vi por aqui, não acho que você vá. Você, praticamente, trabalhar com o Cara da Roda Gigante. 
L: Nós nem temos nos falado mais. Talvez por isso que eu esteja aqui, afinal. 
R: Você acha que ele te abandonou? 
L: Não. Eu que o abandonei. - Ficamos em silêncio por uns vinte minutos e eu comecei a observa-lo. 
R: Eu iria falar que Deus nunca abandona ninguém, mas você afirmou que foi você que o abandonou. Eu não sei o que te dizer. Não se tem muito que dizer para uma pessoa como você. 
L: Uma pessoa como eu? O que dizem sobre mim? 
R: Bom, eu não sei se eu posso contar... - Ele levantou e colocou a mão na cabeça - Geralmente, as pessoas que falam sobre elas, eu nem falo nada de mim, as pessoas não entendem, sabe?! - Ele sussurrou mais uma vez - Olha só, já estamos chegando - Ele apontou para fora da janela e puder ver um túnel - Acho que é o momento de me despedi, eu só te acompanho até aqui - Entramos no túnel e as portas do metrô se abriram - Bem, é aqui. 
L: Obrigada, Raabe - Falei me levantando e olhando para fora - Foi um prazer te conhecer e... - Ele se aproximou e me abraçou com força. 
R: Eu quero que saiba que estou torcendo por você e que não importa o que diga, vai ficar tudo bem - Ele me saltou e pude ver o olhar de piedade brotarem nos seus olhos. 
Sair do vagão e logo ele sumiu no túnel. Essa estação também era no subsolo e estava vazia. Caminhei até a escada, subi e caminhei até a seguinte placa:

Continua...

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Compilado - Como eu cheguei até aqui: Seriados!

Desde que voltei a escrever aqui, que quero colocar minhas colunas em dia. Conseguir até com a "Vale a Nota" "Finjo Que Entendo de Música", mas todas as outras estão aí, empoeiradas... Mas nunca esquecidas! 
Estava louquinha do cu para voltar a falar de seriado aqui. Para quem tá chegando agora, eu sou a maior critica de seriado aqui desses blog, sério mesmo, ninguém fala de seriado aqui, só eu mesmo, por isso o titulo de MAIOR - Cof Cof - ~RISOS~
Então, para quem tá chegando agora, tenta se situar nas colunas "Melhores Séries do Mundo" e "Séries Que Me Sinto Uma Retardada Assistindo.. Mas ainda ASSISTO!" e volta pra cá, ok?! 
Por falar nos nomes das colunas, elas agora viraram uma bagunça! Séries que eu considerava as melhores, descem para categoria que me sinto retardada assistindo, e series que eu achava um cu, ganharam meu coração. Vou começar fazendo um compilado das antigas e como cheguei até aqui, e depois as novas. Dependendo do tamanho desses texto, ele vira 2, bele?! Mas posto tudo, juro juradinho!! 

True Blood 


Eu preciso começar com True Blood! Afinal, foi o seriado mais falado aqui nesse blog, e não, ela não subiu de categoria, EU SEMPRE ME SENTIR RETARDADA E FOI ASSIM ATÉ O FINAL. 
Não havia possibilidade nenhuma de ter um final diferente, porque, desde a 6° temporada, a série já desciam ladeira a baixo, só um milagre para mudar isso, o que não rolou. 
Genteeeeee, o que falar de Sookie que de longe é a PIOR PERSONAGEM DA HISTORIA? Meu deus!!! Como eu torci para ela morrer, mas não rolou, ficou aí de boa, deu para todo mundo no seriado e teve final feliz gravidinha. Bill, meu amor mor, morreu e foi uma novela até a morte dele, uma lambição desnecessária entre ele e Sookie que só me fazia querer morrer, ela não queria, ele queria, ele queria que ela matasse, ela não queria, e você já começava a pensar na frente da tv MORREEEE DEEABO! Tara já havia morrido e era personagem que eu acreditava. Eric e Pam riquíssimo (Não sei para quê mais). Pam sempre foi uma das minhas personagens preferidas, junto com a Tara, a lealdade dela é linda, e mesmo Eric a libertando, ela continuou ao lado dele por opção - Por falar nisso, nessa cena dele libertando ela, chorei de soluçar -. E Jessica e Hoyt, que já tinha esquecido como casal, se casam e vivem feliz para sempre - Não curti, se fosse para ficar com  alguém, antes o Jason, mas né?! -
True Blood se perdeu. Ela sempre se perdia em uma temporada ou outra, mas voltava, com a saga dos vampiros tentando achar um lugar ao sol em meio aos humanos, mas depois das 6 temporada, desandou de vez e teve o pior fim de temporada da vida, me sentir vendo uma novela da Globo. 
O seriado, mesmo com suas secessões de erros, tem seu valor. Trouxe a verdadeira face dos vampiros que foi manchada com a febre de 'Crepúsculo'. Nas entrelinhas, também trouxe varias questões sociais, como a luta por igualdade em qualquer classe e gênero, e mostrou como o fanatismo religioso destrói as pessoas. Fora que tinha um leque de homens lindos AND gostoso! 
Positivamente ou negativamente, a série aconteceu, ganhou vários prêmios, fez a Anna Paquin e Stephen Moyer (Sookie e Bill, o casal da trama) se casaram e serem felizes para sempre... E mesmo sendo a série que me fez criar a tag "Séries Que Me Sinto Uma Retardada Assistindo.. Mas ainda ASSISTO!", mexeu comigo, me fez chorar - Seriado bom é que faz chorar, né, friends?! - e foi o seriado que me trouxe de volta para essa vida de seriados. 

The Vampires Diaries 


TVD iniciou aqui nesse blog com a mesma tag de True Blood, mas logo depois deu na minha cara. QUE SERIADO MARAVILHOSO, MEEEUUU DEOOOOOOS!! Mudou de tag rapidinho. 
Com elenco bom, com historia boa, ISSO, HISTORIA BOA! E se perderam... Até a 5° temporada, mesmo com essa idiotice toda de Damon e Elena, que eu NUNCA concordei, tinha historia, tinha a curva dos personagens, tinham base. Mas aí, a personagem central da trama morre, beleza, fiquei felizinha, porque aí, né?! Oportunidade de mostrar que Elena não era nada demais na série, só atrasava mesmo o lado, mas não foi o que aconteceu. 
Damon continua malzinho, Bonnie namorando com um personagem nada a ver, Stefan com Caroline, que largou o Alaric com suas filhas, um monte de bruxa, Mystic Falls nem existe mais... Eu, simplesmente, tomei nojo de Caroline, É TANTO ÓDIO! Stefan, o meu personagem preferido na trama, virou um totem, sendo coadjuvante, quando deveria ser protagonista. Não que o Damon não merecesse o protagonismo, não é isso, tanto que ele É O PROTAGONISTA, o personagem é tão bom, que carrega a trama inteira. 
Ficava desesperada para o seriado não ter uma historia sem nexo e o que aconteceu? HISTORIA CAGADA SEM NEXO. Uma coisa que me choca muito é um seriado que cada dia me aparece com um feitiço de bruxa novo, um demônio novo, um personagem novo... GENTE PAREEEEEEEE! Não tem um amigo, um irmão, uma namorada, para dizer que é a hora de parar??! O seriado deu o que tinha que dá, já saiu uma galera, ATÉ A PROTAGONISTA JÁ SAIU. APENAS PAREM!!! - Desculpa, me empolguei - 
Bom, eu só assisti o último ep. da 7° temp. para comentar aqui, porque estava me arrastando para terminar a temporada. O seriado saiu da tag "Series Que Me Sinto Uma Retardada Assistindo..Mas ainda Assim ASSISTO..", foi para "Melhores Séries do Mundo" e foi para "Series Que Me Sinto Uma Retardada Assistindo..Mas ainda Assim ASSISTO.." de novo, por cagarem completamente a historia. Não sei se continuo a 8° temporada, PORQUE VAI TER 8° TEMPORADA, NÉ?! Vamos aguardar. 

Glee 


Geeeeeenteeee! SERIADO DA VIDAAAAAA! Glee é um seriado lindo! Desde o primeiro capítulo eu sempre amei Glee. De 22 capítulos, 20 eu chorava, quem ama música e dança, ama Glee. 
Musical, personagens que era inevitável não se identificar e teve um final "fuéee". O baque para mim é que Glee nos fez senti a dor de cada um deles, foi o seriado que mudou a televisão americana, falando abertamente de sexo, homossexualismo, a nós aceitar, a crescer. Eu cresci com Glee, me tornei uma pessoa melhor, e não me vi na 6° temporada.
Acredito, que depois da morte de Cory Monteith, a historia se perdeu. Foi nítido o quanto Finn era importante para trama, tanto que a 6° temporada teve 13 episódios, ainda empurrados com a barriga, porque poderia acabar antes.
Glee continua na Tag "Melhores Séries do Mundo", porque mesmo com final cagado, sem muitas emoções, teve uma historia, teve as músicas e foi de longe um dos melhores seriados que já vi.

Não rendeu 2 post porque queria falar das que falava de antes e acabaram, os próximos serão das novas temporadas, coisas como Game Of Trones, Orange e Narcos.

Bye =**

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

uma pessoa melhor que eu.



Uma coisa que costumo dizer é que tenho muita sorte de ter Penélope como filha. Ela é simplesmente incrível. E não. Não é papo de mãe. Ela realmente É linda. 
Ela é aquariana com ascendente em sagitário. Tem uma personalidade forte, sabe exatamente o que quer e é extremamente curiosa. Todos os dias, me aparece com as perguntas mais esdrúxulas possíveis: “Por que as pessoas falam que estão de boas? Por que essa expressão? O que elas querem dizer com isso?”, “Por que as pessoas falam que são coerentes e elas não são?”, “Por que as pessoas dizem coisas querendo dizer outras? Por que elas não falam o que querem dizer?”... Quando ela começa com os questionamentos - O que é super normal, afinal, essa é mesmo a fase das perguntas - e eu começo explicar, ela vai me fazendo mais questionamentos, ou pedindo para explicar o significado das palavras, e eu vou explicando, contextualizando, e ela vai ficando felizinha, afinal, ela vai usar essas palavras que aprendeu pelos próximos 3 dias. 
Ela é super sensível, mesmo não admitindo isso e vive pagando de durona. Odeia chorar! Explicamos para ela que é algo natural, mas ela não gosta. E não gosta de ver ninguém chorando, porque fica com vontade de chorar também, o que a incomoda muito.
Odeia brigas, gritos ou qualquer tipo de violência. O que lembra-me de algumas situações que demostram muito bem isso:



  • Ela tem uma colega de sala obesa, essa menina sofre abusos da maioria das crianças - Nível de ter uma festinha na escola e nenhum dos meninos querer dançar com ela, por ela ser gorda, sendo que a menina é um doce e muito linda - e Penélope a defende com unhas e dentes e ainda usa frases de efeitos como “Você é linda desse jeito”, “Eles são bobos, não ver que você é linda”... 
  • Outro dia, a filha da vizinha, disse que não brincaria com a prima dela, somente com ela, porque ela não conhecia a prima, e que não falava assim com as pessoas, no caso, só brincaria com Penélope. Além dela não brincar com a menina, ela ainda levantou textão sobre “julgar as pessoas sem conhecer e que ela ficaria com a prima, porque é a família dela”... 
  • Estávamos assistindo TV e começou a falar sobre homofobia e violência contra os gays, ela ficou chocada, e sempre que ela fica assim, ela começa o textão, falando sobre como é feio bater em alguém, que as pessoas precisam respeitar as outras... 
  • Falando em gays, ela cresceu sabendo que Howard é gay, que tem namorado, e ela os amam. No aniversário dela desse ano, eles chegaram ao shopping, onde nos estávamos, e deram um selinho, na hora, as crianças começaram a olhar e apontar, ela começou a espantar os meninos com o discurso de que não era nada demais e que era normal, e não entendia o porquê que os meninos estavam olhando. Nós conversamos sobre tudo. 


Eu não minto para ela e passo tudo dá melhor forma possível. A coisa que mais me importo é com a nossa relação. O que ela tem com os outros, pouco me importa. Preocupo-me com a gente, como firmamos cada dia nossa relação, o que somos uma para outra, independente do laço mãe e filha. Sou sua mãe, mas não só isso. Não quero que ela me veja somente como mãe, afinal, esse laço é para sempre, mas quero mais que isso. Quero que ela me veja como porto seguro, como alguém que pode contar até o fim da vida, a pessoa que ela pode confiar cegamente. Às vezes nós preocupamos em ser só mãe, e quando olhamos para o lado, a pessoa tá com você por obrigação, pela cultura imposta de endeusar a mãe. Não, eu quero que ela me ame por tudo que construímos e saiba que faria tudo por ela. 
Penélope é o primeiro e último pensamento do meu dia. O melhor sorriso, o olhar mais sincero e a companhia perfeita. Ver ela crescendo e se tornando alguém melhor me anima, afinal, é uma coisa que quero muito, que ela seja uma pessoa melhor, melhor que eu.
Google Analytics Alternative