terça-feira, 12 de julho de 2011

Nasce Uma Estrela: Considerações finais

                                                                    Capítulo Anteriores 
Quando me peguei pensando na possibilidade de escrever sobre como a dança fez grande parte da minha vida, e sobre o All Star, saberia que seria difícil. Não, não é só pela dança em sí, que amo e sei que ainda existe alguma coisa ligada a ela dentro de mim, mas pela emoções que viriam a tona com toda essa nostalgia. Não, não foi fácil, na verdade, mas difícil do que eu imaginava, a cada música era meia hora chorando e um texto normal que normalmente leva de 20 a 30 minutos, os da dança era 2 horas. Mas eu me permitia, se permitir é a grande delícia da vida! Então eu ia lá atrás, me lembrava de cada passo, de cada apresentação, de cada briga pelo grupo, sim, eu também lembrava das coisas ruins, de como éramos uma família e hoje nem nos vermos mais, de como o All Star deve ter mudado a vida deles também, afinal temos historia para contar.
Quando dancei nesse grupo pela 1° vez nem imaginava o quanto de bagagem ele traria para minha vida. Para a profissional, ela trouxe a sabedoria de uma sala de aula, 2 anos e meio de um laboratório de aprendizado, uma coisa que metade das pessoas que fazem hoje dança não tem. Eu tenho, tive o prazer de ver várias pessoas entrarem e saírem da minha sala com sabedoria para passar a diante. De antes ter dificuldade para montar uma coreografia e hoje saber que existe 3 formas para montar uma. De reconhecer os instrumentos que estão usado em uma música. De saber a diferença entre tempo e batida. De que 1° se pega a base e depois vem o aperfeiçoamento. Que para uma coreografia boa, precisa de tempo para chegar a perfeição. De fazer uma grande produção, um espetáculo. De saber que nenhum de todos os outros diplomas que já conseguir em outras danças, não vale nada sem prática. Para a pessoal, tive o maior prazer do mundo de conhecer muita MUITA gente bacana. De pessoas que tem um carinho por mim até hoje. De aprender a lidar com gente (Isso sim é uma experiência para a vida toda!). De aprender a saber fazer escolha, de analisar situações, de saber ouvir e falar, e lutar SEMPRE por aquilo que quer.
Lembrar da dança e principalmente do All Star e sentir um arco-íris de emoções. E chorar, sorrir e dançar ao mesmo tempo e por isso continuar a escrever sobre. O que mais ouvir aqui era que tudo isso era bobagem, na verdade durante toda a minha vida, ouvir que a dança era uma bobagem, mas o que essas pessoas não sabem é que eu faço as coisas por mim, e não para as pessoas dizerem que estar bonitinho. Comecei a escrever para as pessoas saberem mais sobre essa parte da minha vida e no 3° texto já era pela loucura que eu sentia dentro de mim a cada texto, a maioria dos textos sobre a dança, não renderam mais que 10 comentários, porque as pessoas não fazem nem ideia de como tudo isso teve um significado enorme para minha vida, e eu sei, e isso importa muito. Ainda hoje, sabendo tudo que fiz pelo All Star, acho que deveria te feito mais, se dei o sangue era para eu ter dado o corpo inteiro, porque valeu MUITO a pena, me lembro de todos os passos, até das músicas de minha alunas. O All Star foi uma das grandes coisas da minha vida, foi o descobrimento de tudo que um dia eu queria ser, e fui!
Hoje eu tenho que agradecer muito a Deus por tudo isso que eu vivi, agradecer a todas as pessoas que acreditaram em nos. Ao grupo escolar (Diretora, vice, supervisor e professores) da minha antiga escola, que acreditaram e apoiavam nossa ideia. A todos os supostos fãs que gritavam loucamente quando agente dançava e a uma menina que foi a única que eu vi chorar em uma apresentação do All Star (É muito amor). Do Sr. X que levava agente todos os anos para dançar no clube da sua empresa. Dos nossos pais que investiram dinheiro para podermos nos apresentar dignamente (Ô vocês acham que nossas roupas eram qualquer uma? Rs). A todos os amigos e namorados que foram super compreensíveis com agente, quando largávamos tudo para ensaiar. E principalmente a: Sr.Cabeça, Vivian Perón, Lilith, Alicia Keys, Odete Roitman, Bruna Sufistinha, Papi O camelo, Xico Sá, Mr.Bean, Camila Pitanga, Mario, Sr.Coxinha, Barbie e Seya, sem eles toda essa historia não valeria a pena, e a eles também o mérito de fazer o sonho acontecer.
A vocês que leram e acompanharam tudo. O All Star acabou, mas aqui dentro, aquela menina.. Ela ainda dança..



Ps¹: O "Ela ainda dança" Para mim é como "Viveram felizes para sempre.."
Ps²: Fiz esse textos em 2 horas e 30 minutos, ouvindo todas as músicas que o All Star já dançou, chorando de soluçar e depois tive que corrigir o texto todo, porque estava escrevendo que nem louca e nem me importava com os erros de português.
Ps³: Resposta a minha mãe e  a todos que acham que eu deveria voltar a ensinar: Queridos, a realidade e dura demais, hoje eu preciso sustentar uma criança e infelizmente a dança não é valorizada no Brasil e ainda por cima não tenho o capital de giro, para fazer a coisa toda funcionar.. Então, não vai rolar..

12 comentários :

Anônimo disse...

Chorei..

Sophia Pazos disse...

Eu acompanhei tudo e me emocionei tb. É dificil remexer e coisas a muito tempo guardadas lá no fundo, nossas conquistas, nossa frustações. Essa experiência te valeu muito sim, e isso ninguém te tira, jamais!!!!
Parabéns pela história, pelos textos e por superar isso da melhor forma. Te adoro muito!!!! Bju

Sophia Pazos disse...

Erro- frustrações

Leka disse...

Olá Lara!
Sei como não é fácil sentir essa nostalgia sobre algo que vivemos e que foi uma parte muito forte do nosso passado.
Apesar das dificuldades que vc encontra hoje, de ter que viver a realidade que nem sempre é o que desejamos fazer, mas fazemos por que precisamos sei que um dia quem sabe você poderá voltar a dar aulas, pois o futuro a Deus pertence! Quem sabe daqui a alguns anos muitas coisas podem mudar na sua vida e vc ter oportunidade de voltar a mexer com dança!
Enquanto não acontece vou torcer pra que tudo dê certo pra você e para que Jesus te dê forças para enfrentar todos os obstáculos que aparecerem!

Obs: Achei que aquela parte das pessoas te reconhecendo muito legal...momento diva da Lara!kkkk!
Bjs, paz e amei a tua história!
http://guerradosmundosleka.blogspot.com/

Val Bernardo disse...

mIga é foda se livrar de antigos sentimentos.Ah se esse all star falasse né amiga.Boa sorte na nova conquista.Bj

Bibia Bueno disse...

Admiro muito quem sabe dançar. Eu nem andar sei direito, pareço uma pata choca bêbada. Fiz muitas aulas de dança quando pequena e nem assim, sentia-me péssima. A pior aluna da turma. Dizem que podemos ficar bons em tudo com treino. Não acredito. Creio que podemos aprimorar dons que temos. Alguns que talvez a gente nem conheça. Mas na ausência total de talento para a coisa, não há fórmula que resolva. Por isso tanto admiro.

Beijos.

Anônimo disse...

ARRASOU!!!cade o povo? sumiu?
besitos
Lejana

Keila disse...

O bom é que vc tem doces memórias.. tem gente que daria um rim por ter tantos sentimentos como os seus.
agora, se vc quer realmente um dia ensinar, deixe esse sonho em um lugar bem quentinho do seu coração e quando vc ver que terá como colocar em prática, vai lá, tira apoeira desse somho lindo e recomece.
bjs

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

Acompanhei todos os poste de - nasce uma estrela- mas deixo aqui a sugestão de vc postar um vídeo de vc sozinha dançando

Sixx disse...

Lara, meu amor, acho que a gente que te lê nunca vai se conformar que você páre de dançar. É melhor sonhar que um dia haverá capital de giro pra você continuar, pois seu sentimento pela dança é tão liiiiiiiiiiindo amiga.
Ainda verei você realizando todos os sonhos.

Beijos

ariiadne veloso; disse...

Mais uma coisa , que eu já sabia foi completamente comprovado depois de tantos capitulos , que realmente você nasceu pra isso , você tem o dom da dança , e isso te faz bem.
Como você disse o Brasil não tem suporte pra isso ¬¬ , mas parabéns Lara , parabéns mesmo! :D
beijos :*

Júuh . disse...

AMIGA LINDAAAAA!

Google Analytics Alternative