segunda-feira, 18 de julho de 2011

Eu Já fui: Uma Sobrevivente do Mar

Tive mais um daqueles pesadelos com mar.
Sempre ameio o mar. Minha mãe era aquela mulher que todo o fim de semana estava na praia. Moramos perto da praia. Então, sempre vivia nela.
Todos os anos viajava com minha família paterna para o litoral. Meus avós tem casa lá e as férias sempre passava com eles, já que meus pais eram separados. Foi no verão de 2004 que sofri um acidente no mar. Eu e meus primos estávamos brincando no mar, só que estávamos em um local que era perigoso, conhecido como "Garganta do Diabo". Tinha esse nome, porque tinha uma linha de grandes pedras e no meio uma pequena abertura, nessa abertura o mar puxava a água com muita força, tornando o local perigoso para banho. Mas eu não me importava com isso, queria era mergulhar e sempre estava em segurança com meu primo. Em certo momento as ondas estavam muito altas, o Salva-vivas comunicou que ali estava muito perigoso e resolvemos dá um último mergulho e ir embora. Só que neste mergulho, veio uma onda tão forte que me puxou, segurei no meu primo e ele tentava levar os outros para areia, já que eram menores e éramos mais velhos. Enquanto ele levava, veio mais uma onda que eu tentei me segurar em meu primo, mas não conseguir, ele veio e tentou me segurar e no mesmo momento veio mais uma onda. O mar estava revolto e ele não conseguiu me segurar, fui sugada. Comecei a tentar nadar desesperadamente e não conseguia. O mar me puxava muito, eu engolia muita água e sentir meus braços bater nas pedras, foi ai que conseguir levantar um pouco mais e ver que tinha passado pela "Garganta do Diabo". Tentei nadar mais algumas vezes, mas era inútil, eu estava chegando a alto mar. Foi ali que eu descobrir que quando as pessoas falavam que se estavam perto da morte conseguiam ver um filme nas suas cabeças, era verdade. Eu vi um filme, vir todas as brigas com minha mãe, vi minha 1° vez com Pedestal, vi o meu quarto com todos os rostos daqueles astros do rock, vi o rosto de minha melhor amiga, de minhas irmãs.. E quando estava apagando vi uma boia branca e vozes de pessoas gritando longe. Conseguir colocar um braço na boia e fui tomando folego, tentando sobreviver. Vi muitos homens puxando a corda da boia do Salva-vidas e em determinado trecho, eu tinha me distanciado tanto da onde eu tinha passado que eu cheguei em uma parte aonde só tinha pedra, tive que subir para passar, quando finalmente subir, veio uma onda enorme e me levou por cima das pedras, sai rolando em cima de muitas pedras até ficar presa em uma próxima a praia e o Salva-vidas me pegar. Eu estava com os peitos de fora ¬¬ com o corpo cheio de sangue e com uma fratura exposta do osso, no lado esquerdo do corpo. Meu primo chorando e me ajeitando, eu fiquei tão irritada que não quis esperar ambulância nenhuma, me levantei toda ensanguentada e cair, porque não aguentava andar. Um menino que estava passando na pista viu quando eu desmaie e parou o carro, me carregou, me enrolou em uma toalha BRANCA que estava no carro dele e me levou para o hospital. Eu, no banco do fundo do carro, tentava falar com ele, mas desmaiei. Acordei na sala de cirurgia do posto, com ele do meu lado e o médico costurando minha barriga, apaguei de novo. Quando acordei descobrir tudo que aconteceu comigo: Rachei o fêmur. Fui perfurada no osso da cintura, o que me fez perde muita carne e tecido, não adiantando muito os pontos que tomei na região, já que a pele iria se regenerar, mas a carne não. Um braço torcido. E escoriação por todo o corpo, do rosto a bunda. Teria que ficar 45 dias de cama, só fazendo exames e me recuperando. O menino ainda estava do meu lado e foi a viagem toda me visitar, só não teve chance nenhuma, porque namorava com Pedestal, que ficou louco quando soube e só não foi me ver porque estava trabalhando e não conseguiu licença. Meu pai colocou toda a culpa no meu primo, que ficou sendo meu babá. Tinha que fazer uma cirurgia por causa do fêmur, mas nunca fiz e sinto dores nele até hoje. Depois de tudo isso, criei um trauma enorme com mar: Não entro em mar com onda, nem com pedras, nem sozinha. Só em mares calminhos e com alguém. Tenho esses pesadelos de tsunamis e me afogando desde então. Restou os pesadelos, as dores, e essa cicatriz linda ¬¬ na minha cintura:

A única foto que dá para ver a cicatriz e ainda sim, não dá para ver ¬¬ Tentei gente..
Ps¹: Esse acidente aconteceu no dia 04/02/04. Sendo 2 dias depois da festa de Iemanjá, na qual eu participei, dei flores e perfumes e sofri o acidente igual ¬¬ Depois disso xinguei muito Iemanjá e colocando toda a culpa de "que ela queria me levar". Segundo minha colega de quarto, ele me salvou ¬¬ Já que se eu tivesse que morrer, morreria mesmo..
Ps²: O menino me colocou em uma toalha branca e nem se importou com isso, porque fazia medicina e a família dele era dona das maiores farmácias do local, ele disse que se sentiu na obrigação de fazer isso por mim ^^ Claro que neste 2 meses ele se apaixonou por mim e ficava brincando que era meu príncipe, com o aval de meu pai e tudo. Só que eu amava Pedestal e não trairia ele nunca! \o/ Apesar de ter achado o menino muito fofo mesmo!
Ps³: O menino ficou na sala de cirurgia comigo, porque o médico pediu para meu primo ficar, só que ele não aguentou tanto sangue e desmaio ¬¬ Ai o menino teve que ficar, para caso eu acordasse me auxiliar.

16 comentários :

Mine Silva disse...

menina que historia, ate´esqueci o que ia escrever. parabéns pela força e garra pra sobreviver. beijos

Natália Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Natália Santos disse...

Mulher que historia,vc nasceu de novo,pode crer!Graças a Deus que vc escapou!Beijos minha amiga!

Winny Trindade disse...

Nossa, que tenso, amiga!!
Quase que você morre. Que medo!

Abraço forte meu.

Bih Dias disse...

Mulher, quase choro! Que história, hein?!
Apesar d n ter vivido nd igual, morro de medo de mar, ainda mais revolto. [acho q por quase me afogar em uma picina .. rs]
Tu nasceste de novo mesmo, viu?

Luna Sanchez disse...

Meu Deus, Lara...perdi o ar aqui!

=(

O máximo que me aconteceu no mar foi uma queimadura de mãe d'água no tornozelo.

Tô feliz de saber que sobreviveu. De verdade.

Um beijo.

Sophia Pazos disse...

Larinha do céu!!! Com mar não se brinca, mamy ja diz e devido a ela tenho pavor de mar assim, com ondas...não vou a nenhuma praia aqui no RJ e sozinha nem pensar tb.
Mamy perdeu um amigo no mar, tava ela, esse amigo e a namorada, e foram a praia e o cara tava longe pra burro, ele começou agritas socorro e só se via a cabeçinha dele, depois ele foi sugado...isso mesmo sugado por alguma tubulação enorme que tinha por ali, não foi onda levando não. O corpo levou 2 semanas pra aparecer...imagina o pavor da minha mãe, ela ficou catatônica pq ela teve que dar a noticia a mãe do rapaz...tiveram que tampar o caixão pq o corpo inchou, ficou preto e a lingua foi puxada pra fora...ui! Desde então quando dizia que ia a praia mamys nem dormia e até hoje é assim. Só entro em mar calminho...

E outraaa...kkkkkk...yo falando horrores.
Uma vez meu marido foi inventar de descer numa piscininha natural que ficava atrás de umas pedras. Veio a onda me levou e se eu não seguro na mão dele eu tava mortinha da silva. Ficamos ralados, apavorados e pisamos em ouriços, tivemos que tomar anti tetânica.

Bju Lara

Leka disse...

Caraca...bizarra essa história Lara!
Imagino a dor que tu sentiu..sinistro!
Mas graças a Deus ele te deu livramento e hoje vc está aqui contanto essa história...

OBS I: Sua oferenda deve ter sido tão boa que Iemanjá teve brecha e queria te levar...kkkk! Brincadeirinha!kkkk!

Obs II: Tô com umas lutas e por isso ando sumida...
bjs, paz e boa semana!

Natália Santos disse...

Amiga mandei email pra vc.

Andressa disse...

Minha noooooooooossa;
nasceu de novo como eu o/

Júuh . disse...

Tenso, muuuito tenso!
é por essas e outras que não gosto do mar! rsrs.

amiga, mas que história ein?
e "pedestal"? não tinha lido sobre ele, fiquei curiosa! hahaha

e não faz mais oferenda nenhuma para iemanjá, rum!

saudade amiga, respondi oi email viu? beeeijo

Bibia Bueno disse...

NOssa, que história! E o salvador se apaixonou! Que coisa de doido! Eu também tenho medinho do mar, adoro, mas não arrisco, não!!! Tadinha, que bom que passou...

Flá Costa * disse...

menina do céu que meeeeeedooo. credooo! fiquei aqui toda arrepiada. eu amo o mar, mas de vez em quando tenho umas doideras e saio correndo, com medo que aconteça algo.

vai entender né?

ainda bem que você ficou bem.

Beijos!

Michele disse...

Amiga, eu passo mal só de ler o que aconteceu com você! Eu tenho muito medo do mar, sempre tive. Nunca entrei mais fundo do que até o meu joelho, pra você ter idéia!

um beijo grande!

Thiane farias disse...

nossa amiga nao sei nem o que dizer estou de boca aberta :0 na verdade vc nasceu de novo bjs.

Gisele Lopes disse...

Ufffa que isso ein menina q sufoco!!!
Te falo uma coisa eu nunca passei por isso, mas tenho pânico de mar! Tbem só fico no rasinho, rsrsr! Foi um livramento de Deus que vc teve!

Lara, então sobre a filhotinha, me apeguei muito a ela, mas não vou poder ficar msm, mas Papai do céu ´ja providenciou um lar maravilhoso pra ela! TÔ super feliz! bjoss

Google Analytics Alternative