sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

O que anda acabando comigo.

Ontem Penélope me chamou para dançar. Chorei =(
O que mais sinto falta na minha nova vida, é não está com ela o dia todo. Isso definitivamente acaba comigo. E mesmo estamos juntas, parece que estamos longe o tempo todo. Os últimos 2 anos Penélope e eu eramos mãe e filha, companheiras, amigas.. 
Estávamos juntas o tempo todo, acordando e dormindo, e não acorda todos os dias com ela em cima de mim, porque eu já sair muito cedo enquanto ela ainda dorme, é triste
E ainda tem a parte de dividi-la. SOU EGOÍSTA. Existe a necessidade de deixa-la com minha mãe ou minha sogra e enquanto eu me preocupo com o vazio que ela deixa, ela está bem, vivendo. E quando eu achava que ela não se adaptaria, ela nem precisou de tempo, e fica bem, e quer ficar e parece que vou ficando para escanteio, ela com as avós que mima, que denga, faz vontade e estraga toda educação que eu construir nos últimos anos, e eu ficando com a parte chata de educar mais uma vez, domar o gênio, a teimosia que só piora, a personalidade difícil, e me sinto péssima, porque chego em casa e tenho que educar, colocar de castigo, quando na verdade se ela fosse mais tranquila, só daria mais amor. Mas também sei que não posso deixar essa culpa tomar conta de mim, e achar que só porque não fico em casa posso deixar ela pintar e borda.. Sei que essa situação não anda fácil, e não posso falar muito, porque EU decidi trabalhar, EU decidi deixa-la, esse é o preço que EU pago.. Sei que quando chego em casa e ela não está ou quando ela está na casa das avós e não a vejo por um, dois dias, é como se tivesse faltando algo o tempo todo e é isso que mostra o quanto eu sou franca e começo a achar que devo desisti..

10 comentários :

Teorias de Gi disse...

Acho muito legal esta relação mãe e filha e num sei o q dizer pq minha mãe sempre trabalhou e acostumamos a não te-la por perto não sei o q farei quando tiver um filho ou em como vou ser, mas acho q de qualquer forma vc a educa bem e epre que pode esta com ela, o tempo passava com minha mãe quando ela naum trabalhava ela dizia para nós (somos 3) " Prefiro ficar no meio dos loquinhos la do hospital do q ficar com vcs" (ela trabalhava em hospital psiquiatrico)e sempre briga pq não eramos como ela queria nós fosse e isso magoava muito acho q até hoje quando lembro... então só posso dizer que nunca deixe chegar a este ponto (bom sei q num vai)...beijusss Lara... e até!

Sophia Pazos disse...

Te apoio em qualquer decisão. Muitas mães não abrem mão dos filhos por isso, exatamente essa sensação de que está perdendo alguma coisa, já outras querem voltar logo logo ao mercado de trabalho e dar uma condição melhor a esses filhos...
Oq posso dizer é que cada uma tem um preço a pagar, vc tem que colocar na balança oq realmente quer, oq te deixará mais feliz...

Bju amiga

Kinha disse...

É horrível quando descobrimos que não somos insubstituíveis para nossos filhos, mas isso é normal. É sinal de que você a está criando bem, que ela se adapta a outras pessoas e a outras situações. No fundo gostaríamos que eles gritassem e chorassem implorando por nossa presença, mas será que isso seria bom mesmo? Será que não aumentaria ainda mais sua sensação de culpa? (porque é óbvio que você se sente culpada). Relaxe então, porque essas transformações fazem parte da vida e um dia sua filhota crescerá e resolverá alçar os próprios voos e você terá de se conformar com isso (ai meu Deus, não acredito que estou dizendo isso). Devemos amadureceer junto com eles.

Pri Dias disse...

Posso imaginar o quanto deve ser difícil para vc. Mas a vida é assim mesmo, vc só deu início a um processo natural da vida entre pais e filhos, a "separação"(a palavra não é bem essa). Vc sabe, nós somos a prova viva de que os pais criam os filhos para ir. Vc cresceu e saiu de casa para formar a sua própria família, eu sai de casa para estudar, enfim... um dia os filhos se vão.
Mas Pepi ainda é pequena e vc terá muitos anos com ela juntinho de vc =)

Bjs Larita e fique bem !!

Andressa Tavares. disse...

Meu amor,
a vida é assim... infelizmente não criamos filhos pra nós...
ela vai ter de ir pro colégio, ter os amiguinhos dela, e você vai ficar feliz, pela criação LINDA que deu e que vai continuar dando pra ela, mãe é mãe.
Como diz a minha: você pode ter 60 anos, mas se estiver errada, e me desobedecer subo em cima de uma cadeira e taco um pau de vassoura em você. HSUAHSUAHSUAS

Fernando Gonçalves disse...

Olá, parabéns pelo seu blog.
Te convido a conhecer o meu,
http://carmasepalavras.blogspot.com/

;)

Winny Trindade disse...

Você não a deixou e ela entende isso. Penélope é uma menina super inteligente e independente, ela sabe distinguir o que é realmente importante e ela sabe que é importante o seu trabalho.

Ela ainda vai te amar, não importa o que acontecer. Eu quase não via os meus pais também, principalmente na época que trabalhavam e estudavam e depois cada um deles tinha 2 empregos. Eu sentia falta, mas sabia que era importante e que no futuro tudo ia valer a pena. E foi o que aconteceu. Ela vai ficar bem, você é que precisa se acostumar.

Abraço meu, minha doce Lara.

AquilesMarchel disse...

em tudo que se faz perdemos algo
é o natural dos caminhos

Engraçadinha disse...

Só uma coisinha:
Sua filha NUNCA, JAMAIS EM TEMPO ALGUM, vai te valorizar se vc deixar de realizar seus sonhos (ou necessidades básicas) em detrimento dela.
Ninguém valoriza ninguém assim.
A melhor educação e exemplo de mulher q vc pode dar a ela, é continuar trabalhando fora e dando sustento a ela. Mesmo q o preço seja a distância e a parte chata da educação.
Acorde Larinha.
Sua filha tá bem.

Bj.

Marcela Azevedo disse...

Eu posso te dizer Lara, que sei o quanto dói. Os meus dois tesouros não moram comigo, nem sei se vc sabia ... e nos primeiros dias eu sentia que estava sendo horrível, uma madrasta na vida deles e depois eu vi o mesmo que vc está vendo...eles se adaptam bem as mudanças. Nos adulto é que complicamo demais, sabe.
Amanhã fazem exatos 5 anos que estou longe deles, morando longe. Visito pouco e nos falamos por telefone, mas posso dizer que tenho os filhos mais amorosos do mundo e eu consegui tudo o que eu vim buscar aqui em Petrópolis.
A decisão e sua amiga, claro que nem devemos dar palpite. O que posso te dizer é que a dor não passa, desculpa a franqueza, sinto a mesma dor que no primeiro dia, mas não sempre, entende, vem as vezes e logo passa, pois tenho tanto de bom deles para recordar que acabo me esquecendo de sofrer tanto...rsrsrs.
Então Lara, se tiver que deistir, tudo bem, eu tb estive na rodoviária com mala e cuia, largando marido e emprego, quase surtando e desistindo de tudo por eles, mas o que me deixa feliz hj por ter me mantido firme é que eles estão muuuuuuuuito melhor que eu poderia prever ou desejar e no final eu também.
Bjinhos.

Google Analytics Alternative