sexta-feira, 4 de maio de 2012

As peripécias de Penélope: Amor de mãe


Penélope esta crescendo. Percebi isso nos últimos dias, quando ela disse que vai se 'vesti de noiva' e ontem quando disse que iria 'para casa da vó e não voltaria mais', porque eu estava colocando-a de castigo. Eu nunca neguei que ela teria uma personalidade forte, que seria difícil, na verdade, até gostava, mostrava que ela seria uma pessoa de fibra, que aguentaria as porradas da vida, que pareceria comigo.. Mas hoje percebo o quanto de dor de cabeça terei. Ontem, quando estava brigando com ela, dizendo que ela iria para o castigo e ela disse que 'iria embora para casa da vó e não voltaria mais', lembrei de mim aos 16 anos dizendo que odiava minha mãe,  ela deu um tampa na minha cara e eu continuava dizendo a quanto odiava. Não odeio minha mãe, era mais uma de nossas brigas, as 2 com personalidades fortes e divergentes, querendo impor as coisas, e sempre terminava em brigas assim, eu dizendo que a odiava, ela me batendo. 
Não tive uma relação boa com minha mãe durante a minha adolescência, tudo começou aos 12 quando eu perdi de ano e ela me deixou de castigo por 4 meses, depois disso só foi discórdia, brigávamos sempre SEMPRE, eu não respeitei muito minha mãe, fazia o que eu queria e ela me jogou na vida, com 16 morava sozinha, porque não quis ir com ela para outro estado. Tive que me virar, manter casa, me alimentar, dava mais valor aos meus 'amigos' do que a minha mãe, mal nos falávamos durante os 4 anos que morei só, orgulhosa que era, não queria que ela me desse nada, naquela época eu acreditava que ela era uma péssima mãe, que nunca tinha me dado amor, que ela não significava nada para mim.. E ai que cair, cair feio, a vida foi me dando seus golpes e eu fui caindo, olhava para os lados e não via ninguém, cheguei ao fundo do poço, e quando eu estava cavando mais para baixo, ela pulo, foi lá me resgatar ou me fazer companhia lá embaixo, não importava, ela queria me ajudar de alguma forma e foi naquele momento que eu aprendi o que é amor de mãe, Penélope veio logo em seguida para me fazer sentir esse amor, e eu aprendi - Dá pior forma possível - que minha mãe era a única pessoa no mundo que eu poderia contar por toda a minha vida, até hoje ela anda provando isso, simplesmente sendo leal a mim.
Depois do pensamento repetindo sobre minha relação com minha mãe, voltei para penélope e mostrei a ela o quanto ela me machucou falando que iria embora. Chorei, disse que a amava, e que tudo que eu fazia era para educa-la para vida. Choramos juntas abraçadas e tentei transmitir todo o meu amor naquele abraço, tentei mostrar a ela que ela tem que confiar em mim e que também podemos ser amiga. Tenho medo do que o futuro me reserva, mas co m o amor de mãe me sinto preparada.

5 comentários :

Gisele Lopes disse...

Hi Lara!!!!!! Saudades, querida!
Saudades dos seus textos loucos e intensos, de rir e chorar com suas palavras.
Então menina, sobre amor de mãe. É tão forte não é? Na adolenscencia acho que todas nos odiamos nossa mãe, hehe. Tbem passei por isso. Você tá no caminho certo, mostrando pra sua filha que a ama, conversando, dando carinho, isso já é meio caminho andado. Vá em frente
Bjo amiga! fka com Deus.

A. Tavares disse...

Deve ser linda essa sensação! *-*

G.K.B disse...

Lara,

Você me faz querer ser mãe!

Essa tua menina é muito lindinha. E bem inteligente pelo que posso perceber. Me encantei com a cena descrita. Confesso, que quase chorei junto!

Abraços.

Ariadne Veloso disse...

Que lindo *-*
Um dia destes estava no ponto ali em Colinas I, vi ela e uma senhora, acho que sua mãe. Ela ficou me olhando por um tempo, dei até risada, muito linda.
Beijos,:*

Cristiano disse...

Abraço de mae que gostoso... :)

Meu pai eh um grande amigo meu... falo isso sem aquela obrigacao de pq ele é meu pai...

Espero q daqui um tempo sua filha fale isso de vc!

Um abraço!

Google Analytics Alternative